Nós da Escola Politeia lutamos cotidianamente para a construção de uma educação mais democrática e livre, acreditamos na ideia de uma escola militante que seja protagonista na transformação radical da situação política, econômica e social em que vivemos.

Nesse sentido nos esforçamos ao máximo para repensar e aprofundar nossa práxis,
e por isso nos engajamos em diversas atividades para além da rotina e dos muros da própria escola. Bom exemplo disso é a Rede Nacional de Educação Democrática, que há alguns anos se reúne (virtual e presencialmente), conectando vários interessados em aprofundar, mudar, pesquisar e se inspirar em novas práxis ligadas à área da educação. Por isso, de maneira pública e democrática, colocamos alguns questionamentos de forma fraterna para avançarmos ainda mais em nossa caminhada.

No último final de semana (dias 03 e 04 de dezembro de 2016) aconteceu a CONANE Regional Sudeste. A CONANE (Conferência Nacional de Alternativas para uma Nova Educação) teve sua primeira edição em novembro de 2013, em Brasília e outra edição nacional no feriado de 7 de setembro de 2015, em São Paulo.

Ficamos empolgados com o convite feito pela organização em 2013, e sabendo da
importância de eventos como esse, colocamos esse assunto no Conselho Escolar com a proposta que a escola fechasse (e para isso toda a comunidade se mobilizou) de modo que conseguíssemos dar peso à participação. Juntamos esforços e seguimos para Brasília em seis educadores. Saímos com as esperanças renovadas, conscientes de que não estávamos sozinhos e, inspirados pelas trocas, voltamos fortalecidos.

Pouco tempo depois, com a possibilidade de acontecer em São Paulo, a Politeia foi
chamada para um encontro que se desmembrou em coordenações de trabalho com objetivo de viabilizar a conferência. Trabalhamos muito em questões estruturais como a contratação de audiovisual, agendamentos, organização das palestras e debates, estrutura física, logística de alimentação, espaço de crianças etc, e demos nossa contribuição de formato e conteúdo como: rodas mais horizontais, temas relevantes, espaços sem tema, espaço para crianças, politização da discussão, articulação de vários grupos/coletivos/experiências, entre outras coisas. Foi um trabalho de vários meses que culminou em três dias intensos de encontro.

Depois desse pequeno histórico, ficam algumas questões: Por que não fomos
chamados para construir essa CONANE? Por que esse ano as escolas não foram
chamadas? Como e quando aconteceu a construção?

Esperamos assim fortalecer os laços que nos unem pela transformação da educação!

COLETIVO POLITEIA

Share